Brasil e Japão: momento é de aprofundar relações
+
Categoria: Noticias
set, 26, 2013

O Brasil tem pelo menos dois desafios a superar no sentido de estreitar as relações comerciais com o Japão. O primeiro é aumentar a corrente de comércio com o país, que em 2012 caiu 10% em relação a 2011. O segundo é melhorar a qualidade dessas transações, o que em outras palavras significa agregar valor à pauta de exportações brasileiras. A opinião é do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, na abertura da 16ª Reunião do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, que aconteceu nesta segunda e terça-feira (23 e 24/09) no Hotel Ouro Minas, em Belo Horizonte. O evento foi organizado pela CNI, Fiemg e Nipponj Keidanren (entidade similar à CNI no Japão). “É preciso um esforço para incrementar a competitividade da indústria nacional e integrar o Brasil às cadeias de valores globais, especialmente na Ásia”, disse Andrade.

As exportações brasileiras para o Japão estão fortemente concentradas em produtos básicos e semimanufaturados, que juntos representam cerca de 90% da pauta. Em contrapartida, quase 100% do que o país importa dos japoneses vem de manufaturados com alto valor agregado.

O encontro entre empresários brasileiros e japoneses na capital mineira é visto como uma grande oportunidade não só de intensificar o comércio bilateral, mas de atrair investimentos para o país. “O Japão está retomando seu crescimento econômico e muitas possibilidades de parceria estão se abrindo para Minas Gerais e o Brasil”, salientou o governador Antonio Anastasia.

Áreas como as de energia renovável, infraestrutura de transportes, telecomunicações e inovação são vistas como as mais promissoras. Os setores de mineração, petróleo, gás, comércio e serviços também serão foco dos debates. Uma proposta do presidente da Fiemg, Olavo Machado Junior, seria de cooperação com os japoneses no desenvolvimento de tecnologias no Centro de Tecnologia Senai-Cetec. “Historicamente, nossas parcerias deram origem a uma indústria com elevado padrão competitivo em Minas Gerais”, lembrou o dirigente, em referência à Usiminas e outras empresas japonesas em solos mineiros.

O presidente do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, do Keidanren, Masami Iijima, salientou que as relações entre nipônicos e brasileiros têm aumentado. “Ampliar investimentos em comércio exterior faz parte da nossa missão”, afirmou. Na agenda do Comitê nesse sentido, segundo ele, está a discussão de um acordo comercial entre os dois países.

Fonte: Site FIEMG

Postado em: 26/09/2013

Nenhum Comentário
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...Loading...

COMENTÁRIOS

Comentários fechados.